22/08/2013

A turma da acelga e o foie gras



A turma da acelga, informa Paladar, tenta proibir na cidade o consumo de foie gras. Domingo topei com manifestação na Paulista dos que defendem maior rigor no Código Penal para os que maltratam animais. 

A “petização” do mundo não tem limites. Nem a ofensiva neoconservadora, aliada ao “Estado baby-sitter”. Imbecilidade não tem fronteiras, e nem imaginação: o vereador Laércio Benko (PHS) diz que se inspirou na Califórnia, no exemplo sempre edificante do exterminador de futuros, Arnold Schwarzenegger. (Fiquei curioso para saber como esse senhor edil votou na CPI dos transportes, etc).

Noticia o mesmo jornal que a Amma está lançando seu “cupulate”. Uma versão de chocolate a partir das sementes da fruta-parente cupuaçu, projeto do qual participou Julien Mercier. O que experimentei, não gostei. Achei que ainda havia um longo caminho a percorrer. Vamos ver agora.

Comida traz texto da Alexandra Forbes constatando que os ricos continuam comendo muito bem, obrigado, fazendo filas nos restaurantes mais caros, onde a crise não bateu. É a sua contribuição à “controvérsia dos preços altos”. Os que estão vazios, “não acertaram no alvo, não acharam clientela, fizeram algo errado”.  Ou seja, a grana também peneira o bom. E numa cidade onde se vende apartamentos que custam mais de R$ 10 milhões, é claro que os ricos também tem direito a comer! O que são R$ 300 míseros reais nessa escala?  Forbes erra porém ao dizer que "os fortes sobreviverão, como Darwin já dizia". Ele jamais disse isso.

Enquanto isso, reportagem da mesma Folha no dia 19 de agosto indicava a expansão das padarias. Se o mercado de restaurantes se retraiu entre 20-15%, as padarias cresceram mais de 10% em vendas. Nelas, o ticket médio é de R$ 14 para almoçar. Deve ter algo a ver com isso o fato de Nina Horta discorrer hoje sobre  a felicidade do café da manhã...

3 comentários:

Feraprumar disse...

Há espaço para todos.. ponderado.. gostei!

José Luiz disse...

Dória, um queijo quente, um copo de suco de melão e um café, acredite, custa 24 reais na padaria Pioneira. Sério.

carlos alberto doria disse...

Claro que eu sei José Luiz. E em outras custa mais ainda. Quando se fala de setor nossa experiencia pessoal pouco conta

Postar um comentário