09/03/2009

Atenção editores! A política em garrafas.



Desde Mondo Vino (2004), documentário dirigido por Jonathan Nossiter, deu-se um embasbacamento geral sobre os vinhos. Houve uma certa perda de inocência sobre o “mundo maravilhoso do vinho” submetido à lógica da globalização. Até então, as pessoas comuns eram propensas a acreditar que as qualidades do vinho derivavam, todas, do terroir do qual procediam.
Este livro ( Tyler Colman, Wine politics. How governments, environmentalists, mobsters, and critics influence the wines we drink, Los Angeles, University of California Press, 2008) é um estudo comparativo entre o Napa Valey (EUA) e Bordeaux (França), que foi a tese de PhD em ciências políticas de Tyler Colman - professor universitário, dono do blog independente Dr.Vino.com, colaborador das revistas Food & Wine e Wine & Spirits – e nos permite conhecer como a política determina o que compramos, o seu custo, o sabor, o que aparece nos rótulos das garrafas, etc.
No seu blog, Colman faz blague dizendo que o livro custa “menos do que um bom chablis”. Ora, o chablis é um caso exemplar para ele: feito de uma uva “nobre” (chardonnay) e sobredeterminado no nome, tem um preço acrescido por isso.
Uma chance para potenciais enochatos se converterem em experts sobre as relações de poder engarrafadas (e outra para editores que insistem em publicar mais do mesmo).

2 comentários:

Pedro disse...

Professor, seu blog esta o máximo!
Estou adorando porque vai endireitar muita gente.
um abraço
Pedro Martinelli

Breno Raigorodsky disse...

Dória, quem sabe a moda siga e eu passe a me pegar cutucando este seu blog Mondrian a toda hora!

Postar um comentário