21/04/2009

O milagre (da volta) dos peixes de rio

Nesses feriados dei um giro por Barra Bonita (SP), lá onde o Tietê perdeu aquele excesso de cocô e esgoto e voltou a ser rio.
Fiquei sabendo que, na represa de Barra Bonita, há cerca de 2.000 pescadores profissionais. Predomina a produção de tilápia mas, na barra do Piracicaba, pesca-se dourado, esse excelente salmonídeo brasileiro, apesar das espinhas em profusão. Vai quase tudo para São Paulo e Campinas.
Gravlax de dourado. Dá um trabalho danado para fazer (isto é, tirar as espinhas) mas gosto do resultado. Muito delicado. E como ele é selvagem, isto é, não é alimentado com ração de pena de frango, como os seus primos, os salmões do Chile, a garantia de qualidade é muito maior.
Parece que a moda dos peixes de rio vai pegar. Há anos se come peixes de rio em vários caterings, especialmente em restaurantes coletivos de fábricas. Só que não se dizia que se tratava de peixes de rio, bem mais baratos do que as espécies nobres do mar. Agora soube de alguém que cria, perto de São Paulo, o lendário pirarucu e já fornece para restaurantes paulistanos. E há também uma empresa, a Nativ, que resolveu dar as caras e anda distribuindo em supermercados peixes amazônicos de criadouro: surubim e tambaqui; além de uma tilápia africana e um híbrido de surubim e jundiá da Amazônia.
Não sou muito fã de peixes de couro, mas parecem mais fáceis de se criar. O site da empresa mostra uma enorme fazenda de cria e engorda. Infelizmente não diz o que os peixes comem.
O Atala comprou 2 mil alevinos de lambari e colocou num lago artificial. Vamos ver o que ele irá aprontar quando os bichinhos crescerem... Não será qualquer coisa, afinal os lambaris estarão em mãos do 24º melhor cozinheiro do mundo!

2 comentários:

paisagensdacritica disse...

Carlos,
fico na expectativa dos lambaris.
Além de ser um peixe delicioso, me leva de volta à infância. Era o preferido de meu pai. E difícil de encontrar em SP. Às vezes, íamos ao interior em busca deles ou pedíamos que nos trouxessem.
Abraços,
Júlio

Tadzio disse...

Dória o Dourado rei do rio é muito bom!
Se tu encontrares um dourado inteiro assado com todas as honras e uma linda farofa como escolta e recheio merece um ataque na bochecha!
Lindo pedaço com textura impar e geralmente não muito temperado e normalmente intocado mesmo quando o bicho ficou só na espinha.

Postar um comentário