13/06/2009

Botarga: é a hora

Volto da feira com a convicção de que é a hora para fazermos a própria botarga.
As ovas frescas de tainha começam a aparecer, ao preço em torno de R$ 40. No final da temporada do ano passado, vendiam a quase R$ 70 e, ainda por cima, congeladas. Os peixeiros punham a culpa nos italianos, que importavam toda a produção brasileira.
Para evitar o ir-e-vir transatlântico das ovas, faça a sua própria botarga: deixe as ovas em sal grosso, dentro da geladeira, por um dia. (Há gente que coloca também um pouco de açúcar mascavo. Enquanto eu não descobrir para que serve, não colocarei). Lave-as, enxugue, leve ao forno a 40ºC e deixe umas 10 horas, até secarem bem, ficando duras e brilhantes.
Se tiver como guardá-las a vácuo, melhor ainda. Durarão incólumes até junho do próximo ano...

2 comentários:

janete disse...

Moro em Santa Catarina e tive a oportunidade de acompanhar de perto a pesca da tainha , simplesmente um espetáculo. É impressionante como até mesmo as pessoas que passam pela praia param para ajudar os pescadores a puxarem as redes.
Fizemos botargas com ovas de peixes que a pouco tinham saído do mar, muitos dos cozinheiros que nos ajudaram no processo, não conheciam Botargas.
No ano passado, as ovas estavam realmente caras, pouco frio, pouco peixe, então não houve " cerco ", ja este ano...Muitas toneladas.

Carlos Dória disse...

Este é o tipo da boa notícia!!

Postar um comentário