13/03/2011

Do vinho para a água

Ladrão, argentário, punguista! – é o que você dirá de um dono de restaurante que cobre 5 ou 6 vezes mais por uma garrafa de vinho do que o preço que você acabou de ver num supermercado. Uma garrafa de R$ 30 a R$ 150 ou R$ 180. Já pensou?

Mas por que você é indulgente, indiferente, conivente, quando se trata de água? Veja: uma garrafa de água com gás, de 1,25 l, custa em torno de R$ 3 no supermercado. Nos restaurantes paulistanos, garrafinhas de 200/250 mls custam R$ 3 ou R$ 4. Isso dá entre R$ 15 a R$ 20 o litro! Aquela mesma proporção que indignou você ao consultar a carta de vinhos.

Cinicamente o dono do restaurante dirá:"Ah, mas nas garrafinhas de dose não custa isso não! Custa bem mais caro!" E você, que não come plástico, que gostaria que ele fosse mais eco-lógico, aceita essa explicação?

5 comentários:

Cassius Devazzio disse...

Tem total razao. Outra coisa que me deixa possesso neste mesmo sentido eh o tamanho das garrafinhas, cada vez menor. Na Itália a água eh geralmente servida em litro ou ate maisque isso; na Argentina, em 700 ml ou um litro...

Letycia Janot disse...

A Iniciativa Água na Jarra, criada pela ONG Igtiba, incentiva a troca do consumo de água em garrafa pela água tratada/filtrada nos restaurantes. Dessa forma deixa-se de gerar uma série de impactos negativos das garrafas plásticas e valoriza-se a água tratada que está disponível para nosso consumo. A decisão de cobrar ou não pela água é do dono do restaurantes, mas todos que aderiram ou dão a água como cortesia ou cobram um preço bem mais baixo do que a água vendida em garrafa. Para maiores informações: www.aguanajarra.com.br.

Claudia disse...

Dória,

você tocou num ponto que precisa virar uma campanha a ser movida por todos nós. Não dá para aceitar essas garrafinhas de plástico de água, elas representam tudo de ruim em todos os sentidos. E são águas da Nestlé, da Pepsi e da Coca Cola, multinacionais sedentas por lucro que estão destruindo as fontes tradicionais do país. A Nestlé em MG está destruindo as fontes de São Lourenço e já destruiu as de Caxambu e nas barbas do governo de MG. Um escândalo de chorar e tudo porque tem gente que aceita comprar essas águas. Eu não dúvido que essas companhias façam vendas casadas que dificultam a vida dos bares e restaurantes.

O artigo no link abaixo fala desse assunto Nestlé

http://www.remaatlantico.org/Members/suassuna/campanhas/nestle-mata-agua-mineral-sao-lourenco

C.

Carlos Dória disse...

Claudia,
Você tem toda razão! Meu post ficou muito despolitizado num assunto tão crucial. Grato

Cristiano disse...

Olá Carlos,
Tenho uma pizzaria no interior de Minas (fotos estão em adoropizza.blogspot.com) fiz campanha contra as tais garrafinhas e muitos clientes me olham de cara feia no melhor estilo "Tô pagando...". Tem que haver uma campanha contra essas garafinhas voçê não acha? E se alguém tiver alguma sugestão que me mande.
Cristiano.

Postar um comentário