07/12/2011

Anvisa - dois pesos e nenhuma medida

A Folha de hoje, no caderno Cotidiano, traz matéria de interesse sobre contaminação de alimentos por agrotóxicos. É uma matéria muito instrutiva sobre a Anvisa, esse órgão público que procura pêlo em ovo nos bares e restaurantes da cidade.

A matéria, assinada por Vanessa Correa, mostra como a lentidão da Anvisa em analisar novos agrotóxicos, estimula os agricultores a continuarem utilizando os condenados, que já deviam ter sido banidos do mercado. Mas, claro, achar salmonela no tartar de quem come nos restaurantes “dos Jardins” é mais importante para a Anvisa. Resultado: pimentão, morango, pepino, alface, cenoura, abacaxi, beterraba, couve, mamão, tomate, laranja, maçã - nessa ordem - exibem quantidades de agrotóxicos inadmissíveis do ponto de vista da saúde (objeto da Anvisa, não é mesmo?).

E o mais incrível é que a burocracia do Governo do Estado de São Paulo optou por NÃO COLABORAR com a Anvisa na pesquisa, alegando que tem pesquisa própria (a autossuficiência da administração paulista é realmente incrível). Detalhe: os burocratas estaduais não incluem o morango, esse vilão que ocupa o 2º lugar no ranking do mal, na sua pesquisa. Imagine-se o lobby dos produtores por trás dessa sábia decisão...

3 comentários:

Isaac Kojima disse...

Só não concordo com a forma como você culpa os agricultores pela contaminação química nos alimentos.
Quem mais planta legumes, frutas e verduras é o pequeno agricultor, que na minha opinião, é tão vítima (ou até mais) do que nós.
Quem tem lobby e influência, no fim das contas, é a indústria química, que produz esse veneno. Nós estamos falando da Monsanto, Dow Chemical que vendem seus produtos com agressivas estratégias de marketing.
Se nós estamos sendo envenenados, é culpa da indústria.

Carlos Dória disse...

Isaac, não sei de onde saiu sua idéia de que culpo os agricultores pequenos. Eles nem tem condições de fazer lobby.

Marbene Araújo Bueno disse...

Boa noite,
Dei minha opinião no espaço do leitor hoje sobre esse assunto na Folha.
Não obstante,vira e mexe reportagens iguais a essa do jornal, por sinal bem elaborada, vem alertar-nos da gravidade do problema, mas até o presente momento não li nenhuma linha nesse mesmo jornal (como em nenhum outro!) denunciando a inoperância da ANVISA quanto a urgência de dar uma resposta imediata e à altura desse assunto de autêntico descaso com a saúde pública.

Postar um comentário