10/06/2009

Prêmios

Cozinha não é Fórmula 1: quem chegou primeiro ganhou! Simplesmente porque não existe o “chegar primeiro”, já que não existe um só caminho.
Essa mania de maratona para tudo é um traço da cultura norte-americana que se repete em vários domínios sem muita reflexão. Na cozinha é bastante complicado: melhor chef, melhor restaurante disso ou daquilo, melhor barman, melhor barista, revelação, etc etc etc.
A impressão que dá: faltam critérios mais objetivos para avaliar o trabalho de alguém e, por isso, confrontando com outros, o contraste ganha estatuto de verdade. Meia dúzia de subjetividades escolhidas segundo critérios nem sempre explícitos ou defensáveis à luz do dia (os chamados “juízes”) criam uma régua para medir o trabalho de centenas de pessoas e concluir: é este!
A medida sistemática e periódica parece buscar a renovação, mas é a consagração do status quo. Um gosto médio, bastante previsível, uma estética consagrada porque recorrente – tudo isso é reafirmado pelos concursos e prêmios gastronômicos.
É a construção sutil, silenciosa, da monotonia de médio prazo. Monotonia da qual se alimentam os órgãos de imprensa por longos períodos, através da ilusória renovação.
Faz bem para o ego dos ganhadores. Faz bem para os negócios (dos restaurantes e da imprensa). Mas será que faz bem para o consumidor?

3 comentários:

Leo Beraldo disse...

Parabéns pelo blog, acabei descobrindo-o só agora. Seus textos são um banho de lucidez, realmente preciosos.

Carlos Dória disse...

Leo,
gentileza sua. Obrigado.

Vinicius Nathan disse...

Olá Sr. Dória, coloquei o "Sr." porque ao portar-me pela primeira vez diante de ti não sabia como escrever as primeiras palavras, mas o fato é o enorme prazer que sinto de pela primeira vez encontra-lo mesmo que através desse meio de comunicação (o que já é muito para mim). Sou um enorme fã do senhor pois quando engrecei na na Gastronomia -o que não faz muito tempo- o primeiro livro que li foi Estrelas no céu da boca, e quando terminei de lê-lo, uma gama de informações dúvidas e questionamentos vieram a minha cabeça, mas acima de tudo um novo jeito de pensar perante a Gastronomia. Obrigado e os meus parabéns pelo seu trabalho.

Postar um comentário