04/09/2009

Variedades de plantas domesticadas

Quem vier a ler A cozinha a nu, do Santi Santamaria, se dará conta da implicância dele com as variedades atuais do tomate.

E nós poderíamos perguntar: quem inventou o tomate? Sim, porque não há segurança de que qualquer coisa que comemos tenha vindo ao mundo na forma que conhecemos. O texto a seguir, que encontrei numa obra de Darwin, reforça essa convicção:

“De Candolle discutiu amplamente a antiguidade de várias raças de plantas. Ele afirmou que a semente negra da papoula era conhecida ao tempo de Homero; a semente branca do gergelim pelos antigos egípcios; e a noz de amêndoas doces e amargas pelos hebreus - mas não é improvável que alguma dessas variedades possa ter se perdido e reapareceu. Ainda existe uma variedade de cevada e, aparentemente, uma de trigo, cultivadas em um período extremamente remoto por habitantes da Suíça. Diz-se que "espécimes de uma pequena variedade de cabaça que ainda é comum no mercado de Lima, foram exumadas de um antigo cemitério no Peru”. De Candolle observa que as principais variedades do repolho, nabo e abóbora podem ser reconhecidas nos livros e desenhos do século XVI: elas podem ter ocorrido num período bem remoto, mas não é certo que algumas dessas plantas sejam absolutamente idênticas às sub-variedades do presente”. Charles Darwin,Variation of Animals and Plants under Domestication , cap. XXVIII (1868)

5 comentários:

Leo Beraldo disse...

Dória, em "Caçadores de Frutas" do Adam Leith Gollner, ele diz a mesma coisa sobre algumas variedades de frutas, que eram intragáveis e foram sendo melhoradas pelo homem.

Carlos Dória disse...

Sim, Leo. O que só reforça a importância da grande descoberta pioneira de Darwin, no estudo da seleção natural e da seleção artificial.

noemi disse...

Dória, senti falta da conversa "entre panelas e estantes" deste mês. Paramos? Não quero acreditar, mas mesmo assim agradeço pelas que já tivemos.
Noemi Marinho

Carlos Dória disse...

Leo,
será dia 14 o próximo encontro. A divulgação começa semana que vem.
abraços

Carlos Dória disse...

Digo: Noemi. Desculpe.

Postar um comentário