05/02/2010

As revistas na berlinda

Os posts sobre revistas de gastronomia despertaram vivo interesse. A visitação a e-BocaLivre foi alta para o padrões modestos desse blog; além dos comentários publicados, recebi outros com pedidos de não serem publicados. Gente contando, por exemplo, que o jabá também corre solto em sites e blogs de gastronomia.

Prefiro, por enquanto, ficar como nossa-senhora-de-puteiro: não vi nada, não sei de nada.Mas o importante é constatar que há muita coisa a discutir, e que as próprias revistas não percebem ou, se percebem, não têm interesse em fazê-lo.

Preferem se comportar como competidoras vorazes, cujo objetivo é angariar mais e mais anúncios. Isso porque não conhecem a nova economia, onde a cooperação pode ser condição do sucesso de todos os contendores.

Um só exemplo do dinamismo infinitamente maior dos blogs hoje em dia: a discussão que Roberta Sudbrack propõe sobre o azeite ao aroma de tartufo.

Muitas questões desse tipo nunca tiveram abrigo nessas revistas, e nunca terão. Vivemos, definitivamente, outra época. É bom que as revistas se dêem conta se quiserem sobreviver.

3 comentários:

Breno Raigorodsky disse...

Doria, parecem existir dois tipos de subprodutos da trufa no mercado, a levar em consideração a diferença de preços - um que custa em torno de R$25, 250ml de óleo e outro que custa em torno de R$110, 80ml

Carlos Dória disse...

Breno,
acho que os tipos nao se revelam pelo preço. Mas acredito que exista um aroma natural e outro artificial. Ainda nao consegui confirmar que exista artificial, ou seja, que a industria já tenha conseguido sintetizar esse aroma a partir do petróleo como a maioria das essencias e aromas artificiais.

Breno Raigorodsky disse...

Os tipos não se revelam pelo preço? Acho que sim, se revelam sim, ao menos neste caso onde um é extrato natural de trufa recém colhida, mas sem condições de se apresentar em feiras como a de Alba ou sem atratividade para os restaurantes que promovem Semana da Trufa mundo afora; a outra, bem, a outra não sei como é, deve ser uma a partir de uma sintetização como você sugere ou a partir de uma presença da trufa muito mais diluída

Postar um comentário