28/07/2010

Stuzzi. Por que "não pode"?


Não é a primeira vez que vou à sorveteria Stuzzi e ouço, diante de um pedido, “não pode!”. Não pode colocar um sorvete de copinho num copo maior para viagem; não pode a criança escolher o sorvete que está no expositor do recipiente que se encontra mais ao fundo. “Não pode!” tem que ser do recipiente mais à frente, do mesmo sabor.

As meninas que servem, é claro, não têm culpa. Mas diante de uma pergunta qualquer fora do script só sabem dizer “não pode!” O engessamento do serviço deve ser coisa de responsabilidade dos proprietários e gerente. Você pede para chamar. Nunca estão!

Este é um erro de treinamento muito comum. Mas a maior parte dos estabelecimentos desse tipo que conheci já fechou. Até mesmo livraria de gastronomia. Seria uma pena a Stuzzi se enfraquecer no mercado de sorvetes.

3 comentários:

José Luiz disse...

Eu também fico chocado com a falta de competência e treinamento de todas, digo todas, as pseudo-atendentes da Stuzzi. Será que os donos não percebem que, além de clientes, também estão perdendo dinheiro? A sorte é que os sorvetes são muito bons. Confesso, no entanto, que ando com preguiça de enfrentar o despreparo das "meninas"...

Vera disse...

DISCORDO COMPLETAMENTE DE VOCÊS!! Frequento a Stuzzi há um certo tempo e nunca (nunca mesmo) fui mal atendida lá. As meninas são uns amores e tem muita paciência até com clientes "chatos" que solicitam coisas impossíveis!! Toda casa deve ter uma regra e o cliente simplesmente não pode fazer o que quer. Acho a casa muito agradável, o produto espetacular e o serviço é melhor que QUALQUER sorveteria de São Paulo!

Carlos Dória disse...

Vera,

longe de mim estabelecer como alguém deva administrar o seu negócio! Mas sou um chato. Exijo coisas impossíveis: colocar uma porção de sorvete num copinho onde cabem duas, para a criança não sujar meu carro. A casa é agradavel, o produto é bom, mas sugiro que você circule um pouco mais antes de absolutizar a qualidade do serviço.

Postar um comentário